Água no balde ou água encanada?

Quantas vezes relegamos os processos de nossa agencia em nome de uma rotina servil aos passageiros, e esquecemos nosso próprio rumo como dirigentes de  empresas.

Não estabelecer uma missão, ou estabelecer e esquecer, não ter metas, métricas e objetivos, concentrar somente nas vendas e não no todo.

Até que um dia uma senhora chamada “crise” aparece para tomar um cafezinho. E muitas vezes ela fica a vontade na nossa empresa e demora pra ir embora.

Lembrei  de um texto que estou postando aqui, quando li pela primeira vez, fiquei estarrecido me colocando do lado de quem “carrega água”. Aliás, muitas vezes ainda me vejo nesta imagem. Acho que vale muito a pena ler o livro (a bibliografia está na última linha), tenho certeza que você vai refletir e espero vê-lo no time dos “encanadores de água.

 

 

Era uma vez um vilarejo, um lugar excelente para viver, exceto por um problema. Faltava água.

Para resolver esse problema, de uma vez por todas, os anciãos decidiram organizar uma concorrência para contratar a entrega de água diariamente no vilarejo.

Duas pessoas se ofereceram para participar da concorrência. Eles acreditavam que a competição garantiria preços baixos.

O primeiro dos dois concorrentes que ganhou a concessão, Ed, imediatamente comprou dois baldes de aço galvanizado e começou a correr de lá para cá até o lago, que ficava a 1.6 kilômetros.

Imediatamente, começou a ganhar dinheiro à medida que corria de manhã a noite pegando água do lago com seus dois baldes.

Todas as manhãs ele tinha que acordar antes dos demais, para assegurar que haveria água suficiente quando eles quisessem.

O trabalho era árduo, mas ele estava feliz por estar ganhando dinheiro e por ter conseguido exclusividade, uma vez que o segundo concorrente vencedor, Bill, desapareceu por um tempo. Ele não foi visto durante meses, o que alegrou Ed, pois ele não tinha concorrência. Ed ganhava todo dinheiro.

Em vez de comprar dois baldes para competir com Ed, Bill, elaborou um Plano de Negócios, montou uma empresa, encontro quatro investidores, contratou em presidente para realizar o trabalho e voltou seis meses mais tarde com uma equipe de construção.

Um ano depois, o seu pessoal tinha construído um enorme aqueduto de aço inoxidável de grande volume, que ligava o lago ao vilarejo. Na cerimônia de inauguração, Bill anunciou que sua água seria mais limpa do que a de Ed, pois sabia que havia reclamações de sujeira na água.

Bill anunciou também que poderia abastecer o vilarejo, 24 horas por dia, 7 dias na semana. Ed só podia entregar água nos dias úteis…

Ele não trabalhava nos finais de semana. Então Bill anunciou que cobraria por esse serviço altamente especializado e pela água. cuja a qualidade era mais confiável, 75% menos do que Ed cobrava.

Para competir, Ed baixou suas taxas em 75%, comprou mais 2 baldes, colocou tampa neles e passou a buscar 4 baldes em cada viagem. Para prestar melhores serviços, contratou 2 filhos para ajudá-lo no turno da noite e nos fins de semana. Quando seus filhos foram para a faculdade, ele disse:- Voltem logo para a casa, pois um dia esse negócio pertencerá a vocês.

Por algum motivo, eles nunca voltaram após a faculdade.

Ed acabou tendo problemas com o empregados e sindicatos. O sindicato pedia maiores salários, mais benefícios, e queria que seus empregados buscassem apenas 1 balde por vez.

Bill, por sua vez, percebeu que se aquele vilarejo precisava de água, então os outros vilarejos também deveriam precisar. Ele reformulou seu Plano de Negócios, e partiu para vender seu sistema de entrega rápida de água potável, em larga escala e a preços baixos para outros vilarejos afora.

Ele ganha apenas 1 centavo por balde d’água entregue, mas entrega milhões de baldes d’água, e todo aquele dinheiro desaguava em sua conta bancária.

Bill desenvolveu um aqueduto para entregar dinheiro a si mesmo, da mesma forma que a água era entregue nos outros vilarejos.

Bill viveu feliz o resto de seus dias. Ed trabalhou muito duro o resto da vida e sempre teve problemas financeiros.

Fonte: Independência Financeira Guia do Pai Rico – Robert T Kiyosaki – Sharon L Lechter –

Comentários

  • Luiz Carlos

    Ótimo texto para reflexão. O planejamento é o primeiro passo dentro da organização.

    • Rh.Tur

      Oi Luis Carlos,
      Obrigado pelo seu post, concordo com você. para se chegar a algum lugar, devemos primeiro definir “onde é” este lugar.
      Um grande abraço.
      Eduardo Racy Abdalla

    • Rh.Tur

      Exatamente Luis Carlos!
      Seja ON ou OFFLINE, é impossível atingir algum objetivo sem planejamento.
      Obrigado pelo comentário e apareça sempre por aqui!
      Eduardo

  • Virgínia

    Boa noite!

    Excelente texto,adorei

    • Rh.Tur

      Olá Virginia!
      Muito obrigado!
      Eduardo

  • Marcos

    Boa noite!

    É verdade que precisamos dar toda atenção necessários aos nossos Clientes, pois a existência da nossa atividade é para eles. Mas não podemos nos esquecer que se queremos que nossos Clientes sintam-se bem atendidos é necessário que tudo o que dá sentido ao atendimento precisa também funcionar adequadamente, caso contrário a senhora “crise” não vai apenar tomar um cafézinho, vai almoço e jantar também.

    Sucesso a todos.

    • Rh.Tur

      Olá Marcos!
      Muito legal seu comentário, e bem por ai mesmo, principalmente no “almoço e jantar” também.
      Apareça sempre aqui no Blog.
      Eduardo Racy Abdalla